Ilha de Santo Aleixo: Paraíso escondido em Pernambuco

Meu encanto por essa ilha foi tão grande, que me despertou uma vontade imensa de compartilhar com todo mundo e convencer as pessoas a conhecer esse paraíso. Ao ler esse post vocês vão ter uma noção do que to falando, mas depois de ir lá vocês vão me entender de verdade 🙂

MAS ONDE FICA?

A Ilha de Santo Aleixo pertence a Barra de Sirinhaém no Litoral Sul de Pernambuco e fica 2km a Leste do município. Mais precisamente, o acesso a Barra é depois de Porto de Galinhas e antes de Tamandaré pela PE-060. Partindo de Recife são 78km e a viagem dura em média uma hora e meia.

COMO EU CHEGO?

O acesso a Barra de Sirinhaém é bem fácil pela PE-060, tem um parque na entrada da cidade e você entra no sentido leste até uma praça onde você com certeza terá informações para embarcar para Ilha.

Alguns dos ônibus que saem de Recife para Barreiros e Tamandaré entram na rodoviária de Barra de Sirinhaém, e de lá tem Vans municipais que vão até a praça onde é possível embarcar para ilha.

Para chegar na Ilha é necessário pegar uma embarcação em Barra, que pode ser Lancha ou barcos de madeira. Os barcos de madeira cabem de 15 a 20 pessoas e cobram 150 o barco. Claro que a lancha é mais rápida e confortável, o barco de madeira é mais “grosseiro” e balança muito! Se tem problemas com enjoo, algum trauma no mar ou dificuldade de locomoção, eu não aconselho.

Eu realizei esse passeio no sábado, 28 de Janeiro de 2017, com a empresa Vértice Aventura. O valor do passeio foi R$ 100,00, partindo do Derby (Recife) 6:30h e incluindo o Transporte de Van até Barra de Sirinhaém, a embarcação até a ilha e a trilha guiada, retornando 17h ao Recife.

Eu li alguns relatos na internet e vi que existem agências que fazem o transfer até a ilha partindo de Porto de Galinhas e incluem a lancha. E também tem agências em Barra mesmo (nessa praça principal) que fornecem esse serviço de lancha até a ilha. Entrei em contato com a Monteiros Tur, eles fazem o transporte de lancha partindo da praça de Barra,embarcam das 9:30 às 10:30 da manhã e o retorno é das 14:30 às 16:30, de terça a domingo. O valor é R$60,00 por pessoa.  

A ILHA

Bom, mas vamos ao que interessa né 😀 Gente, a ilha é encantadora <3 Quando o barco vai se aproximando você já percebe nitidamente a diferença de cor da água do mar, na ilha a água é super limpa e o mar é bem azulzinho. Quando vi aquele mar lindo, não acreditei que existia um lugar tão paradisíaco bem pertinho de mim, foi chegando e já pensando “Tenho que voltar aqui” 🙂

A ilha tem apenas dois bares, um deles fica em cima de um barco e ao todo não passam de 12 guarda-sóis. A organizadora do passeio disse que enchem cedo e como ela conhece eles, ela reservou algumas mesas. O mínimo de consumo era R$ 80,00 reais por mesa, e quando chegamos perguntamos o valor do peixe, R$ 100,00 para duas pessoas. Ou seja, levem seu lanchinho bem reforçado, e muita água ou esteja com o bolso abastecido haha.

O percurso que abrange uma volta na ilha é aproximadamente 2km e a trilha é bem tranquila, sem subidas ou trechos difíceis. No lado oeste dela estão as áreas apropriadas para banho e o lado leste é constituído de rochas vulcânicas onde estavam alguns pescadores. Segundo o guia da Vértice, a ilha pertence ao Governo de Pernambuco e tem uma casa onde fica um caseiro tomando conta (que ninguém viu). Mas em algumas pesquisas na internet, relataram que a ilha é particular e existe um projeto para a construção de um resort. Não posso garantir a veracidade dessas afirmações, portanto só aconselho que você vá logo conhecer se ainda não foi 😀

Compilei alguns vídeos que fiz por lá :

E pra você se apaixonar ainda mais, a ilha tem vários esquilinhos fofos saltando entre as árvores <3

Image and video hosting by TinyPic

ALGUMAS DICAS

Em Barra de Sirinhaém não tem muita estrutura para receber turistas, ou seja, não tem um bom restaurante, lojas ou banheiros de fácil acesso. A cidade ainda é muito pacata, com aquele climão de interior. Tomamos café e almoçamos na volta em um restaurante parceiro da Vértice, bem simples com poucas opções e comporta poucas pessoas. O banheiro público estava sem água, e não era possível utilizá-lo. Tivemos que pagar para utilizar o banheiro de um dos moradores. Então, vá preparado para tomar banho e se organizar no seu lugar de origem, e como não tem muitas opções para comer, leve comida e água para garantir.

O desembarque e embarque no barco é na beira do mar, então leve chinelos (porque dependendo do lugar pode ter pedras), bolsas fáceis de suspender (pode vir uma ondinha e molhar tudo) e roupas fáceis de secar.

Para a trilha, um sapato que não derrape porque você pode passar por algumas rochas molhadas. Roupa leve e abuse do protetor solar, a ilha tem poucas sombras e por isso ficamos bem expostos ao sol.

Pelo que vi, o bom é chegar cedo porque a ilha está bem tranquila ainda, foi assim que estava quando chegamos próximo as 11h. Quando terminamos a trilha e retornamos ao ponto de chagada, a paisagem não era a mesma porque estava tomada de lanchas particulares. E a maré estava mais avançada, ou seja, já não era mais a calmaria que nos recebeu.

Quando chegamos em Barra, tivemos que mudar o local de embarque no barco porque a maré estava muito baixa e existem alguns arrecifes e bancos de areia no percurso até a ilha,e com isso o barco não iria conseguir passar. Então, pode acontecer isso com você também, olhem a tábua da maré antes pra ter uma noção.

Como a maioria dos pontos turísticos, finais de semana a ilha está mais cheia, o melhor é ir na semana (deve ser perfeito). Se você tiver disponibilidade, acredito que vai aproveitar bem mais. E se for meses de baixa temporada, melhor ainda.

E lembrando de levar um saquinho para o lixo, a ilha não tem saída e consequentemente o lixo fica lá também. então é importante lembrar de trazer com você tudo que você levou para manter essa lindeza 🙂

 

Bom gente, é isso. Espero ter contribuído e despertado a vontade em você de conhecer a Ilha de Santo Aleixo. Meu conselho é ir o quanto antes porque logo logo pode acontecer de ter muita visitação e existir alguns limites para isso. Se ficou alguma dúvida, coloquem nos comentários ou mande por e-mail que eu respondo tudo! Até a próxima 😉

Cris Nunes

2 Comment

  1. Rafa says: Responder

    Que massa Cris! Arrazou. Turismo de aventura, né! Ja foi a ilha do coqueiro solitario, em Barreiros?

    1. Cris Nunes says: Responder

      Obrigada Rafa! Não conheço essa ilha, mas ja vou anotar aq 😉

Deixe uma resposta